sexta-feira, 17 de julho de 2009

Tributo a Uma Grande Mulher


“ Eu tenho tanto pra lhe falar,mas com palavras, não sei dizer
como é grande o meu Amor por você”...


Querida mãe, resolvi escrever essas bem traçadas linhas para expressar minha gratidão pelos nossos 36 anos de convivência.

Em primeiro lugar, agadeço por ter me dado a Vida. Me emprestou seu ventre para que eu me desenvolvesse durante 9 meses, sentiu as dores do parto por 2 dias, e por fim após um parto fórceps, eu enfim nasci!

A minha vinda ao mundo foi também a sua estréia no papel de mãe.

Tenho plena consciência da sua total dedicação durante todos esses anos, desde a infância, adolescência, e vida adulta.

Trago recordações da época em que você me arrumava para ir a escola, e trançava meus cabelos.

As idas aos ensaios de balé, ao médico, ao dentista, as festinhas de aniversário.

Sempre conciliou muito bem o seu papel de mãe, mulher e profissional.

Juntas dividimos momentos de alegria, e também os de tristeza. Foram tantos ganhos, e também muitas perdas, ao longo do caminho. Nunca lhe faltou garra, coragem, nem determinação para superar as dificuldades.

Você é uma guerreira, uma vencedora, conseguiu ser “pãe” para mim e meu irmão.

Graças ao seu empenho, e dedicação hoje estamos formados, moral, ética e profissionalmente.

Apesar de não expressar verbalmente o meu reconhecimento, saiba que você é uma grande referência para mim.

Quantas vezes chorei no seu colo pelos namoros terminados, ou por me achar uma adolescente

desengonçada, gordinha, lembra?

Sei que muitas vezes abriu mão da sua vida pessoal para que não nos faltasse nada.

Graças a você me graduei em medicina, numa faculdade particular, com direito a uma linda festa de formatura.

Também graças a você ganhei o meu primeiro carro, uma linda cerimônia e festa de casamento, comprei meu primeiro, segundo e terceiro apartamentos.

Quando engravidei, você me acompanhou as idas ao pré natal; quando me tornei mãe você estava lá na sala de parto junto comigo, e foi quem carregou Felipe até o berçário.

Não esqueço que ao percerber que estava perdendo liquido amniótico afirmei que só iria para a maternidade junto com você.

Se como mãe você sempre brilhou, como avó então você irradia amor, cuidados e mimos.

Obrigada por nos acolher ( A mim, e Felipe e as nossas secretárias do lar ) quando meu casamento chegou ao fim.

Apesar das nossas divergencias, tenha certeza de que tenho gratidão, reconhecimento e também muito amor por você, a quem considero uma grande mulher.

Peço a Deus que nos conceda o privilégio de convivermos ainda por muitos anos!

Peço desculpas pelos momentos que por ventura não tenha agido como você esperava, ou por não ter correspondido as suas expectativas.

Para mim você representa um porto seguro, um alicerce!

Obrigada por existir!

Com Amor,

Chris

Um comentário:

rrtobio disse...

De uma grande mulher para outra!
O amor de mãe é incondicional e o de boa filha também!
Aproveitei um pequeno nomento de relax para ler o seu blog (postagens antigas). Me deparei com essa!