quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Sou Feliz Sozinho

Esse é o título da matéria de capa da Revista Istoé dessa semana. A matéria afirma que pesquisas mostram que há cada vez mais solitários nas grandes cidades, e que eles estão satisfeitos e felizes com essa condição.
Essa tendência é global, ou seja nos quatro cantos do mundo aumenta o número de pessoas que  moram sozinhos.
Morar só, não significa necessariamente ser só, já que interfere nesse conceito a presença dos círculos  de amizades e familiares.
Ter um espaço só seu representa hoje um estilo de vida.
Na minha opinião, assim como em outros departamentos da vida moderna, existem os prós e os contras.
É positivo ter um canto só seu, aonde as coisas funcionam de acordo com a sua vontade, desde a decoração, arrumação, até o programa que passa na televisão e o tipo de comida que tem na geladeira.
Existem determinados momentos que é muito bom dormir sozinho na cama de casal.
Penso que a rotina pode interferir negativamente na vida no casal se não for bem administrada, principalmente a rotina doméstica.
Por outro lado, é bom ter alguém para dividir as responsabilidades, para compartilhar as alegrias, as tristezas, uma refeição, e até mesmo para dormir abraçados nas noites de frio!
Já passei pela experiência de morar com a família, e a do casamento. Atualmente divido meu espaço com meu filho de 7 anos. Confesso que estou curtindo bastante o momento atual.
Faço do meu lar, meu santuário, meu local de paz, aonde reponho as energias, relaxo e me refaço da correria cotidiana.
Sou metódica e organizada, e tenho certeza que a minha casa reflete a minha personalidade.
Não estou fechada a novas experiências e acredito na impermanência da vida, desde que prevaleça sempre o sentimento de realização, de felicidade.
A vida é dinâmica, e de repente tudo pode mudar.
Então que seja sempre para melhor!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

23 de Outubro!




Dia do aniversário de Felipe meu filho querido!
Completou 7 anos! Motivo de grande alegria!
Fizemos uma festinha na escola.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

IPA

Ciúme não é Amor, é posse.
Se tivessemos o poder de sermos proprietários de alguém
certamente teríamos que pagar imposto.
Me ocorreu então sugerir o IPA - Imposto por Possuir Alguém.
Seria um imposto anual calculado sobre a intensidade do ciúme,
quanto mais ciumento maior o valor a ser pago.
O montante recolhido seria revertido em terapia para o ciumento aprender
a confiar em si mesmo, aumentar a autoestima.
O Amor não deve oprimir, reprimir ou sufocar.
Acredito que num relacionamento saudável deva existir confiança,
lealdade e individualidade.
É essencial estar junto por vontade, por prazer e não por pressão, cobranças
ou exigências.
Relacionamentos amorosos devem ser sinônimos de satisfação, felicidade, tesão,
admiração.
Acredite no seu poder de sedução...
Simplesmente acredite!

domingo, 18 de outubro de 2009

Frase da Semana

"Olhar o passado, compreender o presente,
e construir o futuro".

Osho



"Muitos dos nossos problemas - talvez a maioria deles - existem
porque nunca olhamos para eles de frente, nunca os enfrentamos.
Ficar com medo deles, não olhar para eles e viver tentando evitá-los
só serve para lhes dar mais força. Assim, você está aceitando que eles
são reais. A sua aceitação é a existência deles. Sem a sua aceitação,
eles não existiriam."


O fato de ignorarmos nossos problemas, não ajuda a resolve-los.
Algumas vezes, como mecanismo de defesa, ao longo da vida preferi não pensar nos meus problemas, porém adiante eles reapareceram com força maior, me cobrando uma atitude!
O melhor a fazer é reconhecê-los e achar a melhor forma de lidar com eles, já que nem sempre a solução é imediata.
Admitir que se tem problema é um bom começo.
Afinal em Paris, Tóquio ou Nova Iork, todos temos problemas
em determinados momentos da vida!

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

A Caminho do Trabalho

Trânsito engarrafado, ritmo lento, tempo nublado
Enquanto ouço música dentro do meu carro
o pensamento flutua entre o presente, o futuro e o passado.
Lá fora carros buzinam, pessoas andam com passos apressados.
O barulho do cotidiano aguça ainda mais minha percepção
de que a vida é mesmo um turbilhão.
Após percorrer 8 km em meia hora, finalmente chego ao meu destino
e o pensamento é obrigado a aterrissar, porque a realidade está
me esperando para mais um dia de trabalho.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Dia Nublado



Feriado nublado, propício para o ócio criativo!

Relaxando


Aproveitei o fim de semana prolongado para relaxar. Ontem dormi até as 11:30h, coisa que não conseguia fazer há muito tempo!
O tempo ficou nublado, e choveu um pouco, o que tornou propício meu relax.
Almoçei em casa mesmo, lasanha pronta light! Sorte minha existir comida pronta, já que faltei ao curso de culinária na adolescência!
No fim da tarde decidi dar uma volta no shopping e pegar um cinema. Parece que todas as pessoas que não viajaram no feriadão decidiram ir ao shopping! Um verdadeiro formigueiro humano!
Fui assistir Os Normais 2, uma comédia sempre é bem vinda. Para acompanhar o programa, nada melhor do que pipoca ( sem manteiga! ) e coca zero!
O filme foi divertido, dei muita risada, Fernanda Torres e Luis Fernando Guimarães são ótimos, mas não gostei de uma passagem na qual ela estava deitada na cama com um bicho preguiça e entra um texto afirmando que do cruzamento de uma mulher com um bicho preguiça de colete, nasce um bahiano de colete.
Absurdo e de mal gosto essa afirmação preconceituosa sobre nós bahianos. Trabalhamos como qualquer outro brasileiro, eu particularmente, bem mais do que a maioria!
Mas enfim não deixei que esse contratempo estragasse a minha noite.
O filme terminou as 21:00h, horário no qual o shopping estava fechando.
Aproveitei para visitar a Exposição Barbie 50 anos!
Sou fã da boneca, inclusive tenho algumas. Adorei a exposição e tirei várias fotos!


sábado, 10 de outubro de 2009

Radar

Quando estou sensível, parece que ligo um radar que capta detalhes que passariam despercebidos em outras ocasiões.
Hoje por exemplo, fui fazer uma cesariana, estacionei o carro em frente ao abrigo de idosos mantido pela Real Sociedade Espanhola de Beneficiência.
Ao descer do carro observei três senhoras sentadas na varanda do abrigo, (uma delas na cadeira de rodas), mirando o horizonte com os olhares perdidos na imensidão do mar ( a vista da varanda é muito bela, a Baía de Todos os Santos ). Ao lado delas uma auxiliar de enfermagem com cara de entediada, talvez por estar trabalhando em pleno fim de semana prolongado.
Imediatamente me perguntei aonde estariam os familiares dessas velhas senhoras, não teriam filhos, netos? Como fora a vida delas na juventude? Foram felizes? Aproveitaram enquanto eram providas da capacidade de ir e vir ? Realizaram todos os seus projetos de vida?
Quanto tempo ainda estarão presas a um corpo sem vigor, sem energia?
Como se sentem hoje?
Inevitável projetar meu futuro, será que viverei o bastante para realizar tudo o que pretendo?
E no final da vida será que terei a sensação de ter vivido o bastante?
Me ocorreu que mesmo vivendo oito, nove décadas, sempre fica a sensação de ter sido pouco.
Por outro lado, não gostaria de estar morando num asilo no fim da vida, é muito triste.
Após esse breve momento, segui em direção ao elevedor do hospital que fica em frente a entrada da UTI. Algumas pessoas se aglomeravam aflitas, e uma delas em especial me chamou atenção.
Uma jovem, que estava sendo amparada por duas mulheres, que aparentemente a consolavam. De repente veio o pranto e a mulher quase desfaleceu.
Certamente algum ente querido estava internado na UTI, e não estava bem, ou quem sabe até havia falecido.
Novamente os neurônios ponderaram: porque perdemos a oportunidade de expressarmos nosssos sentimentos, nosso bem querer enquanto aqueles que amamos, gostamos, estão bem de saúde, estão ao nosso lado vivos?
Deixar para amanhã pode nunca acontecer, porque a vida as vezes é mais breve do que imaginamos.
Absorta em meus pensamentos, subi o elevador para ajudar a vir ao mundo mais uma vida, fato que me enche de satisfação!

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Questionamentos

Apesar de me considerar uma otimista de carteirinha, algumas vezes tenho vacilado na minha crença de que tudo vai ficar bem.
Hoje é mais uma sexta-feira que passo refletindo sobre erros e acertos.
Não consigo ter certeza se estou no caminho certo, se realmente vale a pena acreditar.
Volta e meia me pergunto se sou uma boa mãe, uma boa filha, uma boa amiga.
Essa noite fui tomada por um sentimento de tristeza, estou cansada fisica e mentalmente.
A vida tem me ensinado a não criar expectativas, a não fantasiar. Manter os pés bem fincados no chão tem me parecido o melhor caminho.
Quando não criamos expectativas, fica mais fácil lidar com as frustrações.
Em 2009 aprendi que a vida é realidade todos os dias, que a minha felicidade não pode depender de outrem, e que devo chorar apenas um dia por aquilo que não deu certo.
Está sendo um ano de grande amadurecimento.
Algumas pessoas me decepcionaram ao longo do caminho e sei que também decepcionei outras. Mesmo quando erro estou tentando acertar.
Amadurecer é saber lidar com situações adversas, tenho trabalhado muito nesse sentido.
Só não quero perder a minha fé!
O amanhã é uma chance que eu terei de fazer um hoje diferente, ou será ao contrário: o hoje é uma chance que eu tenho para fazer um amanhã diferente.
Prefiro a segunda opção.
A vida é feita de altos e baixos, assim como o traçado do eletrocardiograma.
Uma linha isoelétrica ( reta ) no ECG significa morte, ausência de atividade cardíaca.
Mais uma vez preciso transformar o limão em limonada!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Porque Eu Sei Que é Amor

Porque eu sei que é amor
Eu não peço nada em troca
Porque eu sei que é amor
Eu não peço nenhuma prova

Mesmo que você não esteja aqui
O amor está aqui
Agora
Mesmo que você tenha que partir
O amor não há de ir
Embora

Eu sei que é pra sempre
Enquanto durar
E eu peço somente
O que eu puder dar

Porque eu sei que é amor
Sei que cada palavra importa
Porque eu sei que é amor
Sei que só há uma resposta

Mesmo sem porquê eu te trago aqui
O amor está aqui
Comigo
Mesmo sem porquê eu te levo assim
O amor está em mim
Mais vivo

Porque eu sei que é amor


Titãs

Composiçã: Sérgio Britto e Paulo Miklos

terça-feira, 6 de outubro de 2009

A Máquina mais Perfeita






Sou fã assumida do corpo humano, acho que até hoje não foi criada nenhuma máquina que se compare ao funcionamento sincronizado do nosso corpo.
A começar pelo milagre da concepção. Digo milagre porque ao lembrar-mos que tudo começa com o nado rápido e determinado do espermatozóide em busca do óvulo, as barreiras transpostas até a fecundação, nos daremos conta da divindade humana.
Após a união das duas células, inicia-se um processo de divisão e multiplicação que culminará com o nascimento, na grande maioria das vezes, de seres humanos perfeitos ( ao menos fisicamente ).
O récem nascido é frágil, mas já provido de instintos e reflexos, que o fazem sobreviver, e se desenvolver. O choro é a primeira defesa.
Dia após dia ocorrem pequenas mudanças: sustentar a cabeça, virar no berço, sentar, engatinhar, os primeiros dentinhos, as primeiras demonstrações de afeto, as primeiras palavras, os primeiros passos.
Os cinco sentidaos : tato, olfato, gustação, audição, e a visão fazem do Ser Humano um ser completo, e complexo.
Cérebro, olhos, nariz, boca, ouvidos, coração, pulmões, estômago, intestinos, bexiga, fígado, pâncreas, baço, vesícula, cada orgão desempenha papel vital , e quando saudáveis trabalham em perfeitua harmonia.
O ar entra pelo nariz, passa pelos pulmões, oxigena o sangue, e o coração bombeia esse sangue para todo o organismo. O sangue com pouco teor de oxigênio retorna ao coração, para ser novamente oxigenado nos pulmões. E esse ciclo se repete incontáveis vezes ao longo da nossa existência.
Diante do exposto acima não poderia deixar de ser admiradora do Corpo Humano, e reforçar a crença de que existe um Ser Superior ( Deus ) criador.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Vivo Intensamente




Não tenho medo de lutar pelos meus sonhos, nem de vivenciar aquilo que acredito.
Sou daquelas pessoas que procuram viver intensamente.
Me apaixono, me entrego, rio com facilidade, choro mais fácil ainda.
Mas não insisto se percebo que surgem situações dubias, comportamentos incertos,
justificativas injustificáveis.
Não me aprofundo em relacionamentos que não trazem estabilidade.
Cultivo o pensamento de viver com bom humor, com otimismo, simplificando ao máximo a vida.
Não insisto se não sinto reciprocidade.
Quando chego ao meu limite, dificilmente volto atrás.
O relacionamento precisa ser agradável, espontâneo, trazer felicidade.
Estou pronta para cair e levantar quantas vezes forem necessárias!

domingo, 4 de outubro de 2009

Vida





"Por muito tempo eu pensei que a minha vida

fosse se tornar uma vida de verdade.

Mas sempre havia um obstáculo no caminho,

algo a ser ultrapassado antes de começar a viver,

um trabalho não terminado, uma conta a ser paga.

Aí sim, a vida de verdade começaria.

Por fim, cheguei a conclusão de que esses obstáculos

eram a minha vida de verdade.

Essa perspectiva tem me ajudado a ver

que não existe um caminho para a felicidade.

A felicidade é o caminho!

Assim, aproveite todos os momentos que você tem.

E aproveite-os mais se você tem alguém especial para compartilhar,

alguém especial o suficiente para passar seu tempo;

e lembre-se que o tempo não espera ninguém.

Portanto, pare de esperar até que você termine a faculdade;

Até que você volte para a faculdade;

até que você perca 5 quilos;

até que você ganhe 5 quilos;

até que você tenha tido filhos;

até que seus filhos tenham saído de casa;

até que você se case;

até que você se divorcie;

até sexta à noite;

até segunda de manhã;

até que você tenha comprado um carro

ou uma casa nova;

até que seu carro ou sua casa tenham sido pagos;

até o próximo verão, outono, inverno;

até que você esteja aposentado;

até que a sua música toque;

até que você tenha terminado seu drink;

até que você esteja sóbrio de novo

até que você morra;

...E decida que não há hora melhor para ser feliz

do que AGORA MESMO...

Lembre-se:

" Felicidade é uma viagem, não um destino".

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Sexta - feira

Sexta -feira sempre é um dia esperado por mim, é o final de mais uma semana de muito trabalho ( graças a Deus ), e também o início do fim de semana, e junto com ele a possibilidade de relaxar.
Confesso que aproveito as noites de sexta solitárias para fazer uma balanço da vida, planejar o que ainda quero realizar.
Adoro os momentos de tranquilidade que vivo ao chegar em casa, é muito gratificante ter um cantinho para chamar de meu, arrumar a minha maneira, meu ninho!
Está completando um mês que me mudei e o saldo é positivo, estou me adaptando muito bem a nova rotina. Ainda preciso fazer alguns ajustes, mas no geral nada a reclamar, só a agradecer.
Estou cansada fisicamente, mas tranquila emocionalmente.
Percebo que os dois últimos anos representaram período de grande crescimento emocional, grande amadurecimento.
Tenho plena consciência que esses momentos de satisfação é que me fazem seguir em frente.
A vida passa muito rápido, e as nossas experiências são o que realmente valem, o que fazem a diferença.
Que venha mais um fim de semana!

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Mário Quintana

Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem.
Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela...
Um dia nós percebemos que as mulheres têm instinto "caçador"
e fazem qualquer homem sofrer ...
Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável...
Um dia percebemos que as melhores provas de amor
são as mais simples...
Um dia percebemos que o comum não nos atrai...
Um dia saberemos que ser classificado como "bonzinho" não é bom...
Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga
é a que mais pensa em você...
Um dia saberemos a importância da frase:
"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas..."
Um dia percebemos que somos muito importante para alguém,
mas não damos valor a isso...
Um dia percebemos como aquele amigo faz falta,
mas ai já é tarde demais...
Enfim...
Um dia descobrimos que apesar de viver quase um século
esse tempo todo não é suficiente para realizarmos todos os nossos sonhos,
para beijarmos todas as bocas que nos atraem,
para dizer o que tem de ser dito...
O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida
ou lutamos para realizar todas as nossas loucuras...
Quem não compreende um olhar
tampouco compreenderá uma longa explicação.