quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Comer Rezar e Amar

Gosto muito de ler, e resolvi retomar a leitura do livro Comer, Razar e Amar, a qual havia iniciado meses atrás e interrompi no início por pura falta de disciplina.
Aproveito os momentos de calmaria no plantão para "devorar" o livro, e por sinal estou gostando muito do conteúdo.
Achei muito interessante esses parágrafos que transcrevo abaixo:

- Eu quero ter uma experiência duradoura de Deus. Algumas vezes eu sinto que entendo a divindade de Deus, mas depois deixo de entender porque me distraio com meus desejos e medos mesquinhos. Quero estar com Deus o tempo todo. Mas não quero ser nenhuma monja, nem abrir mão por completo dos prazeres mundanos. Acho que o que eu quero é aprender a viver neste mundo e desfrutar seus prazeres, mas também me dedicar a Deus.

Ketut disse que podia responder à minha pergunta com uma imagem.
Mostrou-me um esboço que havia desenhado certa vez durante a meditação.
Era uma figura humana andrógina, de pé, com as mãos unidas em prece.
Mas essa figura tinha quatro pernas e não tinha cabeça. Onde deveria estar a cabeça, havia apenas um tufo selvagem de samambaias e flores. Em cima do coração estava desenhado um pequeno rosto sorridente.

- Para encontrar o equlíbrio que você busca - disse Ketut - é nisso que você tem de se transformar. Precisa manter os pés plantados com tanta firmeza na terra que é como se tivesse quatro pernas, em vez de duas. Assim, você consegue permanecer no mundo. Mas você tem de parar de ver o mundo através da sua cabeça. Em vez disso, precisa olhar pelo coração. Assim você vai conhecer Deus.

Me identifico com a preocupação da autora em tentar conciliar os prazeres mundanos com a proximidade de Deus, no qual acredito e confio plenamente.

2 comentários:

Andarilho disse...

Eu já li esse livro, gostei dele.

Dei o meu exemplar pra uma pessoa, espero que ela tenha gostado.

rosana disse...

Enfim podemos conversar sobre o livro.